Make your own free website on Tripod.com

Aspectos da narrativa literária
Dr. Margarida Gandara Rauen

Uma tradição acadêmica costuma dividir a literatura artística em, ficção (onde predomina o discurso narrativo ou prosa), poesia (trabalho em versos) e drama (obras para teatro, onde predomina o diálogo). Utilizo a expressão "narrativa literária", ao invés da ortodoxa "ficção", porque a considero mais exata. Ora, toda a literatura artística é ficção e, portanto, a rigor, tratar como ficção apenas a narrativa é sugerir, indiretamente, que a poesia e drama não envolvem vozes e elementos ficcionais. Errado está quem interpreta apenas biograficamente qualquer texto literário: "O autor diz isso e aquilo". Quem "diz" é sempre a entidade ficcional, que nem sempre valida pensamentos do autor.

As narrativas artísticas (ex. romances) devem ser examinadas a partir de seus componentes básicos: trama, personagens e temas. A palavra trama é sinônimo de enredo, sendo associada à seqüência de acontecimentos da narrativa. Para o leitor sofisticado, porém a trama implica algo mais complexo: a maneira como estão estruturados os fatos, desde a sua exposição inicial, até a sua complicação, num clímax, e a posterior resolução dos conflitos. É da estrutura bem trabalhada que resultam efeitos tais como o suspense, o envolvimento emocional do leitor, a tensão climática, a resolução surpreendente.

As personagens da narrativa, por sua vez, são personalidades cujas ações e reações movimentam idéias e emoções num contexto específico. São tipos humanos com perfis históricos, culturais, religiosos e sociais. Analisar uma personagem, portanto, requer o estudo de seu comportamento de suas relações e interações, trançando, por assim dizer, a dinâmica de seu percurso (ex. moral, social), na obra. A personagem evolui? Regride? Permanece inalterada? Como ela afeta outras personagens? Que tipo de visão-de-mundo ela nos apresenta?

As grandes tramas e personagens não vivem num mundo de fatos. Não é o enredo que enriquece a obra, mas a temática. Digo temática porque, geralmente, há mais do que um tema na maioria temática das obras literárias. Assim, pode-se ler Macunaíma, por exemplo, como uma crítica à burguesia, uma sátira à sexualidade reprimida, uma representação de diferenças culturais, um romance folclórico, um romance "moderno", de amor, tristeza, paixão, decepção, ironia, alegria, contraste ou… "rapsódia", como o definiu o próprio Andrade. Toda interpretação temática, logicamente, deve se sustentar por evidências existenciais no texto ou contexto da obra.

Outros aspectos importantes da narrativa literária são o uso do tempo (ex, cronológico, psicológico), o grau de controle imposto pelo ponto-de-vista (ex. pessoas primeira ou terceira do singular: primeira pessoa do plural), o uso de símbolos (imagens literária requer, pelo menos, noções rudimentares sobre aspectos aqui "pincelados". Sem isso, a leitura é uma atividade ingênua. Esgotando-se em si mesma, pela própria falta de interação entre o leitor e universo narrativo.

 

FOLHETIM | LITERATURA | GRAMÁTICA | CONTATO | HTML